Intervenção com Crianças e Jovens

UPA KIDS
Intervenção com Crianças e Jovens

Em 2019, ano em que celebramos 10 anos do primeiro projeto de promoção de saúde mental em contexto escolar – “UPA Faz a diferença” (https://www.encontrarse.pt/investigacao-avaliacao/projetos-concluidos/) e no ano em que o Centro de Atendimento Integrado – CAI (https://www.encontrarse.pt/intervencao/centro-de-atendimento-integrado/) para adultos também festejou 10 anos, a ENCONTRAR+SE deu inicio ao projeto UPA Kids.

O UPA Kids é dirigido à população infantil e procura alargar e intensificar o trabalho junto da população mais jovem, através do desenvolvimento e implementação de respostas que promovam a saúde mental infantil.

A ENCONTRAR+SE orgulha-se de, desde 2009, ter vindo a alertar para a importância de promover a saúde mental, a literacia em saúde mental e o combate ao estigma na doença mental no contexto educativo, tendo desenvolvido e colaborado em programas como o UPA FAZ A DIFERENÇA – Ações de Sensibilização Pró Saúde Mental, Professores UPA Fazem a Diferença e Abrir Espaço à Saúde Mental, dirigidos a alunos entre o 7º e o 12º anos de escolaridade e seus professores.

Com base na experiência de 10 anos de trabalho, tornou-se evidente a necessidade de reforçar a promoção da saúde mental na infância.

Com base no modelo comunitário de ação, o UPA KIDS reforça a missão da ENCONTRAR+SE através da disponibilização de boas práticas, cientificamente validadas, que permitam uma intervenção mais eficaz na área da saúde mental infantil.

ATENDIMENTO A CRIANÇAS E FAMÍLIAS

Desde 2019, que a ENCONTRAR+SE passou a disponibilizar serviço de acompanhamento psicológico a crianças e pais/outros cuidadores.

As marcações de consultas podem ser efetuadas através dos seguintes contactos:

PUBLICAÇÕES

Levar a saude mental onde ela não chega

O projeto “Levar a Saúde Mental onde ela não chega – Kids” é uma iniciativa promovida pela ENCONTRAR+SE – Associação para a promoção da Saúde Mental, apoiada pela Portugal Inovação Social, sendo um projeto cofinanciado pela União Europeia, através do Fundo Social Europeu. Integrada no programa Parcerias para o Impacto, os Parceiros Sociais deste projeto são o BPI – Fundação “la Caixa”, a DST e a Câmara Municipal do Porto.

O projeto Levar a Saúde Mental onde ela não chega – KIDS pretende criar uma resposta inovadora de promoção da saúde mental infantil, para o problema social relacionado com a significativa prevalência de problemas de saúde mental na infância, que se verifica de forma generalizada na população, tendendo a agravar-se em contextos sociais e económicos desfavorecidos.

A taxa de prevalência de problemas de saúde mental na infância está estimada entre 10-20% (Organização Pan-Americana da Saúde & Organização Mundial de Saúde, 2001). A investigação tem demonstrado que quando estes problemas emocionais e comportamentais não são alvo de intervenção no período da infância tendem a evoluir, estruturando o funcionamento na adolescência e idade adulta. Inclusivamente, estudos mostram que cerca de 50% dos problemas de saúde mental diagnosticados na idade adulta tem o seu início antes dos 14 anos (European Commission & Portuguese Ministry of Health, 2010). Além desta associação significativa entre problemas de saúde mental na infância e dificuldades posteriores, quer na adolescência, quer na idade adulta; é também clara a associação entre problemas emocionais e comportamentais e comprometimento do desempenho académico.

Em termos gerais, trata-se de uma abordagem abrangente, integrada, articulada e continua que atende à realidade desenvolvimental das crianças, aos seus contextos e às suas múltiplas necessidades, promovendo uma capacitação a diferentes níveis – individual e coletivo, com vista à manutenção a médio e longo prazo dos ganhos que se pretendem alcançar.

O projeto contempla uma grande diversidade de abordagens, dirigidas quer às crianças, quer aos agentes educativos que assumem um papel de grande relevância no tópico da saúde mental: encarregados de educação, docentes e pessoal não docente.

As abordagens usadas configuram-se numa grande diversidade de ateliers concentrados no desenvolvimento socioemocional das crianças: Atelier da Paz, Atelier da Realidade Virtual, Atelier de Arte e, exclusivamente dirigidas às crianças a frequentar o 4º ano, Atelier de transição para o 2º ciclo.

Numa lógica integrativa e concertada, o projeto contempla também Ateliers dirigidos aos Agentes Educativos: Atelier de Parentalidade dirigido aos encarregados de educação e Atelier de Educação Positiva dirigido aos docentes mas também aos não docentes, como os assistentes operacionais.

Além destes formatos dirigidos à toda a comunidade escolar, o projeto contempla ainda a possibilidade de acompanhamento psicológico, exclusivamente dirigido a crianças que apresentem essa necessidade.

Neste primeiro ano de projeto estaremos no Agrupamento de Escolas de Leonardo Coimbra Filho, nomeadamente nas Escolas Básicas de 1º ciclo de Condominhas e da Pasteleira.

qt mais cedo melhor

O Quanto Mais Cedo Melhor é um programa (P-QMCM) desenvolvido pela ENCONTRAR+SE com base numa década de experiência no desenvolvimento e implementação de programas de promoção da saúde-mental, do bem-estar e de combate as estigma no contexto escolar. O Quanto Mais Cedo Melhor integra o “Programa Abordagem Integrada para a Inclusão Ativa (AIIA) promovido pela Câmara Municipal do Porto, financiado pelo programa operacional POISE no quadro do Programa NORTE2020, tendo como objetivo a promoção de competências socioemocionais e saúde mental infantil em contexto escolar. Baseia-se numa abordagem integrada, consistente com a whole-school approach, dirigindo as suas ações a alunos, encarregados de educação, docentes e outros agentes educativos com vista à promoção da saúde mental em crianças que frequentam o 1º ciclo do ensino básico.

O P-QMCM tem como objetivos:

  • promover competências socioemocionais;
  • promover literacia em saúde mental;
  • desenvolver junto dos encarregados de educação e agentes educativos competências educativas promotoras de ambientes favoráveis ao desenvolvimento saudável;
  • desenvolver junto dos encarregados de educação e agentes educativos competências de sinalização e encaminhamento de problemas de saúde mental nas crianças;
  • promover um ambiente escolar (e familiar) mais aberto ao tema da saúde/doença mental.

 

No ano letivo 2019/20 o P-QMCM foi desenvolvido em 24 turmas de 3º ano (e algumas de 2º ano) de cinco agrupamentos de escolas do município do Porto. Na totalidade, cerca de 520 crianças receberam nas suas salas de aula o nosso programa.